Truques do escritor (parte 04)

24/11/2014 10:22

 

 

Truques do escritor – parte 04

 

Olá!
 

Vamos à quarta parte dos “truques do escritor”!

Espero que gostem e aprendam um pouco o meu jeito de escrever e, lembrando, cada autor vai ter seu estilo e técnicas pra desenvolver sua escrita, então procurem sempre criticar e não aceitar tudo que lhes é falado. O ideal é que você fale e/ou aprenda com o maior número de escritores possível, assim você saberá como cada um desenvolve seus textos. Vamos lá:

 

 

TRUQUE DO ESCRITOR No. 07: nomeando títulos de capítulos

 

Primeiro que títulos são sempre algo simples e complicado ao mesmo tempo. Você, ao nomear um capítulo, deve demonstrar o que ocorrerá (ou espera-se que ocorra, pode usar esse recurso do título para enganar o leitor), mas sem entregar. Ao mesmo tempo não é obrigado ter uma frase, pode ser somente uma palavra, em O Caminho dos Mortos eu fiz assim, somente uma palavra e pronto: “Desespero”, “Sobrevivência” etc. Já em Os Oito Guardiões Contra o Reino de Vostrom eu nomeei cada capítulo com frases, algumas mais longas que outras. Pode também colocar um código (letras e/ou números) que vai ser entendido à medida que se lê o livro ou no fim mesmo. Pode-se colocar o mesmo título mudando algumas palavras. Pode nomear cada capítulo com uma letra, e no final formar uma frase subliminar ou algum nome especial, enfim, fique à vontade e sinta-se livre para criar o que quiser, a obra é sua!

Como também não é obrigado ter nenhuma palavra, somente “Capítulo 8” basta, mas assim, acredito eu, parece que falta algo, então vai do seu estilo ter um título de capítulo ou não.

Eu prefiro capítulos com nomes, pois acho que chama/instiga o leitor para ler o mesmo o quanto antes.

 

 

 

TRUQUE DO ESCRITOR No. 08: combatendo os “brancos”

 

Vou dizer aqui a minha sincera opinião de escritor iniciante a respeito dos brancos criativos, as famosas “travadas” que ocorrem com qualquer pessoa que escreva. Algumas pessoas travam em algum momento em suas narrativas, e isso é normal de acontecer, mas não o tempo todo. Acredito que esses “brancos” são principalmente por falta de leitura (de aprender como são contadas as histórias em suas diversas mídias) e/ou de planejamento (estruturar o texto, fazer um resumo completo com início, meio e fim, aonde se quer chegar com aquilo, qual o gênero, qual o público-alvo, que sentimentos/sensações serão abordadas naquela narrativa etc.). Você não pode simplesmente se dedicar a um livro e esquecer de ler outros assuntos e outras narrativas, pois penso eu que estará fadado ao erro e ao imprevisto, como também se você mais escreve seus textos do que lê o de outras pessoas, significa que você não é humilde, e quem não é humilde não cresce. Leia umas três vezes para escrever uma, ou seja, leia três horas e escreva uma. Essa proporção me ajudou muito e funcionou comigo, pode funcionar com você. E não se preocupe com relação ao tempo que se dedica ao seu livro, vai compensar as três horas de leitura porque você aprenderá muito mais e produzirá muito mais rápido.

Exercício 01 para combater os brancos: se servir pra você, pegue um papel e caneta, coloque tudo (da cena “travada”) que virá a seguir, como você imagina os cenários, detalhe muitas coisas, como está o clima, quem são os personagens envolvidos na cena que está prestes a criar, não se limite ao óbvio (senso comum) na primeira opção, inove, crie, faça diferente (para fazer diferente você tem que aprender o máximo de narrativas possível, por isso é importante e essencial ler para ser criativo e diferente), que ações você espera que aconteça, tente visualizar como se fosse uma câmera e você o diretor que manda em tudo aquilo e vai acontecer conforme sua ordem e pensamento; naturalmente “aparecerão” ideias e linhas de pensamento em sua mente que o encorajarão a seguir a narrativa de uma maneira única. Eu sei que você consegue! Bom trabalho!

Exercício 02 para combater os brancos: se ocorrer de não aparecer mais ideias por enquanto, dê uma pausa em sua narrativa e comece outra ideia, quem sabe outro romance/conto inclusive. Deixe aquele texto “travado” repousando. Vá relaxar a mente, escute um pouco de música e faça nada mais. Assista algum episódio de sua série favorita, leia um ou outro texto, sites produtivos, enfim, o que você mais pensar que possa te distrair. Algum tempo depois (horas, dias etc.) você verá que em algum momento você enxerga palavras naquela página em branco, bem onde sua narrativa está travada, mas não estará mais, porque você já sabe agora o que vai acontecer...

Exercício 03 para combater os brancos: pense bastante no início e no final da sua história. Quando você já tem um final em mente, você sabe mais ou menos os meios para se chegar nele, agora resta somente inventar/criar maneiras diferentes para se chegar nele. Esse meio (extensão da narrativa) é o que dá mais trabalho, pois é o livro em essência. Pode notar, o começo tem qualquer história tem certa graça, o final também, mas é o meio que deixa a gente vidrado ali e gostando de tudo o que aquele autor tem a dizer. Visualizando início e fim, e pensando bastante nesse meio do texto, você conseguirá se destravar, pois a mágica da naturalidade da escrita e da sua genialidade se farão presentes e sua narrativa seguirá à diante, independente se é início, meio e fim.

 

 

No mais é isso. Aqui me despeço por enquanto.

Nos vemos nos próximos truques do escritor!

 

 

Forte abraço a todos!

 

PABLO VARGAS

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!